segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Não Tenhas Medo

Ele, São José, é, sem dúvida, um homem fora de série, não deixando de pensar que muitos outros há, nenhum como, ele é claro.

Noivo de uma jovem bela, nem ele sabia o quanto, sem qualquer mancha que lhe pudesse apontar a mais pequena culpa. Um dia percebe que Ela está grávida. Ele não entende, não pode ser, mas está. Ele é um Homem, um Homem de verdade, um Homem justo. Não compreende, não sabe como, não sabe porquê, mas também não pode expor a mulher que ama, não pode condenar, não há nada em que possa apontar.

Não a expõe a Ela, opta por assumir-se culpado, hipócrita, sem caráter, um fugitivo. Assim seria a partir do momento em que fizesse o que tinha pensado "repudiá-lA em segredo".

Quanta dor, quanta lágrima, quanta pergunta sem resposta, quanta noite sem dormir, quanta dúvida, quanta oração! E Deus em silêncio.

Ousamos nós queixar-nos do silêncio e das faltas de resposta por parte de Deus! É evidente que Deus sabia o coração que havia naquele homem, confia-lhe uma missão  sublime a mais grandiosa e bela de todas as missões. Sem o avisar, confia-lhe a sua Mãe, mais, confia-se a Si próprio, à sua guarda, à sua proteção. Põe nas suas mãos a salvação da humanidade, e fica em silêncio.

Porque Deus é silêncio, embora ensurdecedor, põe na fragilidade de nossas mãos a vida que nos confia. Em invisível proteção rodeia-nos de sua Graça, protege-nos dos riscos de morte, a verdadeira morte, através de Anjos que são guardas. Veste-nos com a sua força, o ânimo do Espírito Santo e fica Ele mesmo a velar por nós: "Eu estarei convosco até ao fim dos tempos", Ele está, porque os tempos ainda não chegaram ao seu fim.

Porque Deus liberta, sem por um infinito lapso de tempo nos esquecer - Ai de nós se o fizesse - derrama sobre nós a total liberdade, pondo em nossas mãos as suas consequências.

Se são nossas as decisões a tomar, o bem ou o mal a escolher, é sua a Misericórdia  que O faz continuar presente, sempre presente, e mais atuante no silêncio e na dor, de mãos estendidas, no olhar terno dos Anjos e no gemido interior do Espírito a atrair-nos para Si, a esperar, sempre, que Lhe demos sinal de que queremos acolher Sua mão. Se a confiança é grande, mas se hesitamos, temos dúvida, ou não percebemos, aí sim, Ele fala claramente, no modo que escolher, para dizer: "Não tenhas medo".                                                                                                                         18-12-2016

Reacções:

0 comentários:

Enviar um comentário